noticia 002

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no 8º Fórum Nacional de Alimentação Escolar, que acaba de ser realizado em São Paulo, 80% das crianças brasileiras ingerem açúcar acima do nível recomendado pelos nutricionistas. E 89% consomem gordura além dos padrões considerados saudáveis. O estudo foi apresentado pelo pesquisador Edilson Nascimento Silva, que também mostrou que a ingestão de fibras é 82% abaixo do recomendável pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para a pediatra Lilian G. Zaboto, membro do Departamento de Obesidade Infantil da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso), os números só confirmam que a obesidade infantil tornou-se uma epidemia devido às mudanças nos hábitos alimentares das crianças e da população em geral.

“A genética é um fator importante na obesidade das crianças, porém não existe obesidade se não houver um desequilíbrio entre a ingestão alimentar e o gasto energético”, afirma. Em artigo publicado recentemente pela revista Nature, cientistas norte-americanos apontam como o novo vilão da saúde o açúcar, aparecendo ao lado do cigarro e do álcool, e, de acordo com os pesquisadores, é imprescindível que se comece a controlar seu consumo. Os cientistas, que são ligados a Universidade da Califórnia, em São Francisco, afirmam que o consumo mundial de açúcar triplicou nos últimos 50 anos. “Todo país que adotou uma dieta ocidental dominada por alimentos de baixo custo e altamente processados teve um aumento em suas taxas de obesidade e de doenças relacionadas a esse problema. Há hoje 30% mais pessoas obesas do que desnutridas”, disseram à Nature.

Perigo do sódio para bebês

Outro dado preocupante é que a comida das crianças, em especial de bebês, ainda é preparada com excesso de sal pelos pais. E, segundo pesquisadores, esse fato é o que tem a maior correlação com o desenvolvimento de hipertensão arterial. Em nenhuma outra fase da vida o sal pode ser tão relacionado com esta patologia do adulto quanto no primeiro ano de vida. Isso ocorre porque o sal é introduzido junto com os sólidos e a criança ainda não desenvolveu este paladar, mas os adultos provam os alimentos e colocam sal baseados em seu próprio paladar.  

Problemas ‘estouram’ mais tarde

Segundo o gastropediatra Eduardo da Silva Vaz, presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria, os maus hábitos alimentares nos primeiros anos de vida podem levar a complicações mais tarde - desde síndrome metabólica a diabetes, pressão alta, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer podem ter origem nos alimentos ingeridos ainda na infância. O nutrólogo Durval Ribas Filho, da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), confirma que esses problemas, decorrentes de uma alimentação inadequada no início da vida, vêm se tornando cada dia mais comuns. Para Ribas Filho, é preciso ter atenção com alimentos de alta densidade energética oferecido para bebês e crianças, pois eles favorecem a proliferação de células adiposas que se perpetuam para a vida adulta. “E são elas que vão acabar gerando algumas doenças no futuro”, alerta. Alimentos com alta densidade energética estão nos excessos oferecidos pelos “fast-food”, por exemplo, como lanches recheados de gordura e carboidratos. ”Essa dieta incorreta predispõe o desenvolvimento de substâncias pré-oxidativas que degeneram as células e provocam as chamadas doenças crônico-degenerativas - como diabetes, hipertensão arterial, dislipidemia, envelhecimento precoce e até câncer”, avisa o nutrólogo.  

Find the latest bookmaker offers available across all uk gambling sites - Bets.Zone - Betting Zone Use our complete list of trusted and reputable operators to see at a glance the best casino, poker, sport and bingo bonuses available online.